Feng Shui - O Equilíbrio Entre o Céu e a Terra

Há mais de 5.000 anos, na China Antiga, nascia uma técnica de harmonização de ambientes que sobreviveria até os dias de hoje: o Feng Shui. Observando a Natureza, os sábios daquela época verificaram que o ambiente afetava o ser humano na mesma medida em que era afetado por ele. Assim, as relações de causa e efeito encontradas foram reunidas e classificadas com o passar do tempo, gerando uma técnica muito peculiar. Inúmeros casos observados durante milhares de anos tornaram o Feng Shui confiável e de grande aceitação popular.  Mas quais são os princípios de funcionamento dessa grande arte e o que podemos esperar dela?      

O Feng Shui harmoniza a energia do Céu (Yang) e da Terra (Yin) em nossa casa para que possamos ter saúde, sucesso e prosperidade. Feng Shui significa Vento e Água, numa alusão às mudanças de estado da matéria - movimento e repouso. Para medir os níveis  e a qualidade das energias nos ambientes,  o consultor utiliza certos instrumentos como  a bússola, a planta baixa do imóvel, o baguá  e o calendário. Achamos o ponto de equilíbrio entre Yin e Yang misturando os 5 elementos da Natureza (água, madeira, fogo, terra e metal) de acordo com o Wu Xing, o Ciclo da Vida.  Trata-se de um processo alquímico, muito sutil, que transforma Sha Qi (energia nociva) em Shen Qi (energia benéfica). O estudo da Mecânica Quântica, atualmente, consegue elucidar o funcionamento do Feng Shui com mais facilidade.Mas o Feng Shui não determina o curso dos acontecimentos. O que determina o nosso destino, em última instância, são sempre as
nossas ações, sejam elas boas ou más. Por isso, viver em um lar harmonizado também requer mudança de atitude.  

O Feng Shui transforma a energia dos imóveis gerando paz, segurança e criatividade, favorecendo o nosso desenvolvimento pessoal e profissional. Entretanto, podemos modificar o padrão do imóvel se, e somente se, estivermos dispostos a mudar os nossos padrões internos. O Feng Shui ajuda a nos equilibrar física, emocional e mentalmente com a Energia Criadora e a estabelecer esse contato dentro da nossa casa. Mas se continuarmos a agir de maneira equivocada, usurpando a confiança das pessoas e traindo a nossa própria credibilidade, certamente, todo o trabalho de harmonização será em vão. Porque o ser humano está ligado à vida que flui em todos os seres. Negar essa corrente de amor que nos une à Criação pode trazer sucesso, riqueza e bem estar, porém, de duração passageira e sempre seguidos de imensa dor, tristeza e arrependimento. Logo, além de estabelecer as bases do lugar certo e do tempo certo, o Feng Shui também trata da vontade correta. Para ser um Consultor de Feng Shui não é preciso ser Arquiteto. Mas é preciso compreender as formas da Natureza, a função de cada espaço e as contingências energéticas do tempo. Um Consultor de Feng Shui é também um pouco terapeuta e matemático. Precisa gostar do ser humano e distinguir a essência de sua aparência. Também precisa saber sentir e elaborar a percepção em conjuntos harmônicos, como um grande compositor. Pois Feng Shui também é música, aromas, texturas, luz e sombra. Mil cores que se abrem num leque de opções. O seu princípio é o Bem e o Belo; a sua finalidade, desobstruir os caminhos que nos levam à mais alta realização. 


Texto publicado na Revista Usina da Cultura, Edição Abril/2015 n°23
Autoria: Fabiana Souza
Filósofa, pesquisadora da sabedoria oriental, designer e consultora de Feng Shui.

Comentários