Astrologia Chinesa


Especialista no assunto, a filósofa Fabiana Souza explica como os mapas astrológicos chineses funcionam e para que servem.


A Astrologia Chinesa é um estudo metafísico de análise e de previsão do destino bastante complexo e rico em detalhes. Segundo a filósofa e especialista no assunto Fabiana Souza, a Astrologia Chinesa conta com, pelo menos, três sistemas astrológicos diferentes, com enfoques totalmente distintos. 

Fabiana explica que o sistema astrológico Bazi, também conhecido por Quatro Pilares do Destino, segue a mesma linha filosófica da Medicina Tradicional Chinesa, que trabalha com os cinco elementos. Esse método de análise, então, está mais voltado para a área da saúde, pois é capaz de identificar a nossa constituição energética, equilibrando possíveis excessos ou carências no organismo conforme o nosso biótipo: “Este mapa é calculado de acordo o calendário solar chinês e nele podemos verificar, também, as profissões que mais se adaptam a cada indivíduo, além do tipo de personalidade que tendemos a atrair”. A especialista afirma, ainda, que a constituição energética do organismo se estrutura na primeira inspiração do bebê, quando as células ficam impregnadas com a energia do momento de seu nascimento.

O sistema astrológico Zi Wei Dou Shu, por sua vez, consegue prever as tendências do nosso destino de maneira detalhada, detectando os períodos mais favoráveis e desfavoráveis durante toda uma vida: “Esta técnica é baseada no calendário lunar chinês e analisa, resumidamente, a nossa sorte. Trata-se de uma metodologia muito curiosa, pois sua riqueza de detalhes impressiona, até mesmo, os mais céticos. Nesse mapa, posicionamos 109 astros nas doze casas zodiacais chinesas e detectamos as possíveis causas de uma má sorte, que pode estar relacionada à insatisfação profissional ou a relacionamentos indesejáveis, por exemplo” – completa. Fabiana explica que esses dois sistemas astrológicos são diferentes, porém, não contraditórios, “eles apresentam aspectos diferentes da vida de uma pessoa, um voltado para o seu potencial energético, e outro, dedicado à análise do destino e a sua sorte”.

Segundo a especialista, todos os mapas apresentam percalços, alguns mais, outros menos: “Geralmente, os mapas mais afortunados são os das personalidades que despontam na mídia, contudo, esses mesmos mapas podem apresentar certos desequilíbrios que, sem a devida precaução, podem fazer com que a pessoa se perca na própria sorte” – conta.

Porém a especialista afirma que se uma pessoa apresenta um mapa ruim, com muitos momentos desfavoráveis ao longo da vida, não há motivos para desespero, uma vez que existem meios de driblar esses inconvenientes: “Um mapa muito desequilibrado pode restabelecer o equilíbrio através de uma mudança nos hábitos de vida. Através de uma alimentação específica e de determinadas atividades físicas, por exemplo, podemos trazer os elementos que faltam na vida dessa pessoa”. Fabiana afirma que os mapas funcionam como um sistema preventivo, ajudando a nos preparar para uma fase ruim.

Com a Astrologia Chinesa é possível, também, descobrir o potencial para a saúde, decifrar os relacionamentos familiares e amorosos, apontar habilidades e a verdadeira vocação, traçar o perfil psicológico, verificar a sinastria de casais, identificar os processos cármicos e ter uma ampla visão do futuro.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Fabiana Souza e realizar os mapas astrológicos chineses acesse facebook.com/astrologiachinesabr ou o site www.fengshuidesign.com.br.

Comentários